ARAC
04 Agosto 2020 | 15:40
Notícias
2020-08-04Abrem hoje as candidaturas ao apoio após lay-off simplificado
O incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial é concedido depois da cessação do lay-off simplificado ou do plano extraordinário de formação, medidas lançadas pelo Governo para responder ao impacto da pandemia covid-19+
2020-08-04Para onde viajar? Conheça as restrições de viagens aplicadas pelos países europeus
Um guia que explica se pode ou não ir na Europa, dadas as restrições impostas à circulação entre países resultantes da pandemia de Covid-19.+
2020-08-04Secretária de Estado do Turismo assina sete contratos de autocaravanismo
Segundo um estudo do Standvirtual, este é um segmento de mercado em forte crescimento em Portugal devido ao impacto da pandemia.+

Notícias



PS já admite rever leis laborais: a pandemia demonstrou "a fragilidade dos contratos de trabalho"
Expresso


O PS diz, agora, que se está num "momento histórico" para se olhar para o quadro de relações laborais e promete apresentar em setembro iniciativas legislativas para regular o teletrabalho. A líder parlamentar do PS assume-o numa entrevista ao podcast do PS "Política com Palavra", liderado pelo jornalista Filipe Santos Costa, depois de questionada se há disponibilidade do PS para revisitar as leis do trabalho, tal como reclama o Bloco de Esquerda como condição para negociar um acordo de médio prazo com o Governo.

Na perspetiva da presidente do Grupo Parlamentar do PS, no contexto da atual pandemia da covid-19, "este é um momento histórico e uma oportunidade para se olhar para as relações laborais e perceber-se o que vai mudar". "É o momento histórico para continuarmos o combate à precariedade, mas também é uma oportunidade para olharmos para as novas formas de nos relacionarmos no trabalho, como é exemplo o teletrabalho", acrescentou.

Segundo a líder da bancada socialista, a atual pandemia demonstrou "como a fragilidade dos contratos de trabalho coloca em causa a vida das pessoas e o posto de trabalho" e, nesse sentido, o seu Grupo Parlamentar, vai apresentar em setembro propostas na área do teletrabalho, tendo em vista regulá-lo.

No entanto, Ana Catarina Mendes fez questão de salientar que as mudanças na área laboral devem ser feitas em diálogo social - e o diálogo social faz-se na concertação social". "A legislação laboral constrói-se num triangulo: com o Governo, com a Assembleia da República e com a concertação social", sustentou.

Interrogada sobre o alcance do convite feito pelo primeiro-ministro aos parceiros de esquerda da anterior legislatura, durante o último debate parlamentar sobre o estado da nação, em que pediu um acordo "sólido e duradouro" de médio prazo, Ana Catarina Mendes advertiu que António Costa não está necessariamente a propor um acordo escrito ao Bloco de Esquerda, PCP e PEV.

"O que António Costa está a propor neste momento é que continuemos a trilhar este caminho em conjunto, à esquerda, que reforce o Estado Social, a manutenção do emprego, a capacidade das empresas e que reforce o crescimento da economia. Estou absolutamente convencida de que o PCP, o PEV e o BE continuam a partilhar connosco a necessidade de reforçarmos o Estado social, reforçarmos o papel do Estado e reforçarmos a nossa economia", defendeu.





Área Reservada
PEÇA AQUI O SEU SELO "CLEAN & SAFE"
EMPRESAS JÁ DETENTORAS DO SELO "CLEAN & SAFE"
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com