ARAC
02 Julho 2020 | 07:18
Notícias
2020-07-01Saída de Neeleman deixa TAP entre Pedrosa e o Estado
Esquerda insiste em nacionalizar, governo quer ganhar poder. Marcelo diz que deixar cair transportadora não é hipótese. Direita rejeita TAP pública.+
2020-06-30Em 100 dias de pandemia perderam-se 8 mil milhões de euros em compras com cartões
Nos primeiros 100 dias de pandemia foram feitas menos 200 milhões de transações com cartões, o equivalente a oito mil milhões de euros. Nesse período 60% das pessoas reduziram compras com cartão.+
2020-06-30Joaquim Sarmento (PSD) teme que Governo aguarde "milagre europeu" e repita "erros do passado"
Joaquim Sarmento teme que o Governo esteja "exclusivamente à espera do milagre europeu" para resolver os problemas da economia e que repita "erros do passado" no que se refere a investimento público.+

Notícias



Fosun apresenta oferta pela Thomas Cook. Operadora dispara 24%
JORNAL DE NEGÓCIOS


O grupo Fosun, maior acionista do banco português BCP, apresentou uma oferta pela operadora de viagens Thomas Cook, levando as ações da empresa a disparar em bolsa.

De acordo com um comunicado divulgado esta segunda-feira, 10 de junho, pela operadora britânica, a Fosun apresentou uma proposta preliminar e há negociações em curso, tal como já havia sido avançado pela Sky News na semana passada. Após esta confirmação, as ações da Thomas dispararam 24,19% para 20 pence.

Os chineses da Fosun, que já são os maiores acionistas da Thomas Cook, com uma participação de 18%, também detêm a marca de resorts de luxo Club Med.

Sobre a Thomas Cook, a mais antiga operadora de viagens do mundo, voltou a pairar recentemente o fantasma da insolvência, numa altura em que ao decréscimo acentuado das reservas se juntam as incertezas relacionada com o Brexit.

Vender pelo menos parte das operações é crucial para a sobrevivência da empresa, já que disso depende um novo empréstimo de 300 milhões de libras anunciado no mês passado.

Para a Fosun, a aquisição da Thomas Cook dar-lhe-ia o controlo de um negócio com 11 milhões de clientes e que registou receitas de 7,4 mil milhões de libras no ano passado.

No comunicado, porém, a Thomas Cook esclarece que não há uma oferta "formal" por parte do maior acionista, mas que o conselho de administração considerará qualquer proposta paralelamente às "outras opções estratégicas" que a empresa tem.

No caso de o negócio avançar, este também poderá beneficiar da crescente procura por viagens por parte dos chineses que, segundo a Bloomberg, fizeram 150 milhões de visitas ao estrangeiro no ano passado, quase 15% mais do que em 2017.

Apesar dos fortes ganhos da sessão de hoje, os títulos da Thomas Cook ainda perdem quase 39% desde o início do ano.



Área Reservada
EMPRESAS JÁ DETENTORAS DO SELO "CLEAN & SAFE"
PEÇA AQUI O SEU SELO "CLEAN & SAFE"
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com