ARAC
27 Janeiro 2021 | 13:27
Notícias
2021-01-27Lisboa alarga apoios a fundo perdido a empresas que faturem até um milhão de euros
O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, anunciou esta quarta-feira um novo pacote de medidas de apoio às empresas, famílias e aos setores cultural e social da cidade.+
2021-01-27Novo apoio é para quem fique abaixo do limiar da pobreza
Regras do novo apoio para quem fica sem prestações de desemprego ou tem perda de rendimentos foram publicadas ontem. Pedidos podem ser feitos em fevereiro.+
2021-01-27São estas as datas que tem de saber para a entrega do IRS em 2021
Saiba quais são os prazos a cumprir em 2021 para não pagar coimas nem perder as suas deduções. A primeira é já em fevereiro.+

Notícias



TURISMO DE PORTUGAL REFORÇA LINHA DE APOIO À TESOURARIA E LANÇA LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA
AMBITUR


Estão publicadas em Diário da República as alterações efetuadas à Linha de Apoio à Tesouraria para Micro e Pequenas Empresas do Turismo(alargando o seu âmbito de aplicação às pequenas empresas e reforçando a respetiva dotação orçamental para 100 milhões de euros) e foi lançada a nova Linha de Apoio à Qualificação da Oferta com uma dotação de 300 milhões de euros.

As alterações incluem ainda a extensão da aplicação do mecanismo de conversão de 20% do financiamento a fundo perdido a todas as candidaturas à linha de Apoio à Tesouraria que sejam apresentadas pela mesma empresa, assim como a permissão de apresentação trimestral de candidaturas, intensificando-se, deste modo, o apoio disponibilizado às empresas.

ALinha de Apoio à Tesouraria para Micro e Pequenas Empresas do Turismo, gerida pelo Turismo de Portugal e criada como mecanismo de apoio à tesouraria das empresas do turismo no contexto da pandemia de Covid-19, já apoiou mais de 7.300 empresas, com um financiamento aprovado de cerca de 57 milhões de euros.

Através deste mecanismo, as micro e, agora, as pequenas empresas podem aceder a um apoio financeiro correspondente a 750 euros por posto de trabalho/mês, pelo período de 3 meses, no máximo de 20 mil euros para as micro empresas e de 30 mil euros para as pequenas empresas, dos quais 20% podem ser convertidos a fundo perdido.

Nesta data entra também em vigor a nova Linha de Apoio à Qualificação da Oferta que, com uma dotação orçamental de 300 milhões de euros, se destina a apoiar o esforço de investimento das empresas do turismo, em particular no que diz respeito à requalificação dos respetivos empreendimentos e estabelecimentos, tendo em vista adaptar e preparar a oferta turística, perspetivando o processo de recuperação do setor.

Com a novaLinha de Apoio à Qualificação da Oferta, que se dirige a todas as empresas do turismo, acentua-se o foco no desenvolvimento de projetos sustentáveis e inclusivos, e reforça-se a intensidade de auxílio, através do aumento da componente de fundo perdido a que as empresas podem aceder, a título de prémio de desempenho.

Esta linha de apoio traduz uma parceria entre o Turismo de Portugal e 12 Instituições de Crédito (Abanca, Bankinter, BPI, BPG, CCAM, CGD, Eurobic, Millennium BCP, Montepio, Novo Banco, Novo Banco dos Açores e Santander), nos termos da qual o financiamento a conceder é partilhado entre o Instituto e uma daquelas instituições de crédito. Saliente-se que no que se refere à parte do financiamento do Turismo de Portugal, até 30% da mesma pode ser convertida em fundo perdido, em função da dimensão da empresa.

Os dados registados até hoje pelas linhas que a antecederam confirmam a pertinência, oportunidade e adequação da mesma. Foram aprovadas 342 candidaturas, com um investimento associado de 534 milhões de euros e um financiamento de 280 milhões de euros.

Para Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, “as alterações introduzidas à Linha de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Turismo e a aprovação da nova Linha de Apoio à Qualificação da Oferta, traduzem a estratégia contínua deste Governo no reforço do apoio às empresas do turismo, através da melhoria das condições de financiamento a que estas podem aceder, seja para necessidades de tesouraria, seja para necessidades de investimento. No período particularmente difícil que atravessamos, estes instrumentos, a par de outros já lançados e em fase de lançamento, permitem ajudar as empresas do setor a assegurar a liquidez imprescindível à manutenção da sua atividade e dos respetivos postos de trabalho, mas também possibilitam apoiar o esforço de investimento na adaptação e na requalificação dos respetivos empreendimentos e estabelecimentos, para que, no momento da recuperação, Portugal possa continuar a oferecer um turismo de excelência e a reforçar o seu posicionamento competitivo no mundo enquanto destino turístico”.



Área Reservada
PEÇA AQUI O SEU SELO "CLEAN & SAFE"
Como constituir uma empresa de Rent-a-Car
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com