ARAC
31 Outubro 2020 | 15:40
Notícias
2020-10-30Governo admite restrições para mais municípios, recolher obrigatório e reforço do teletrabalho
O ministro da Economia afasta a ideia de um confinamento generalizado, mas explica que o Governo está a preparar o alargamento das restrições a mais municípios, ou seja, os que tenham mais casos por 100 mil habitantes. Recolher obrigatório, novas restrições aos horários do comércio e dos restaurantes e alargamento do teletrabalho também estão a ser ponderados.+
2020-10-30Seguros dos carros vão baixar por causa da pandemia
José Galamba de Oliveira, presidente da APS, diz que há seguradoras que estão, na renovação da anuidade, a aumentar a bonificação e, dessa forma, a reduzir o prémio futuro. Há outros casos em que vão devolver já uma parte dos prémios deste ano.+
2020-10-30“OS GOVERNOS TÊM DE SE RESPONSABILIZAR PELA RECUPERAÇÃO DO TURISMO INVESTINDO EM TECNOLOGIA”
A Silicon Valley Web Conference (SVWC), promovida pela StartSe e co-organizada pela Nova SBE+

Notícias



ROTAS DA TAP CRIADAS NO PORTO “SÃO NESTE MOMENTO UM PREJUÍZO” PARA A COMPANHIA
AMBITUR


As quatro rotas criadas no aeroporto do Porto, depois de o Estado “tomar uma posição mais assertiva” na TAP, “são neste momento um prejuízo” para a companhia aérea, garantiu ontem o ministro das Infraestruturas e da Habitação. Numa audição na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, no parlamento, Pedro Nuno Santos disse que as quatro rotas criadas no aeroporto do Porto recentemente, para Amesterdão, Milão, Zurique e Ponta Delgada estão com “46% da lotação em média” e são “neste momento um prejuízo para a TAP”.

O ministro revelou ainda que está a ser estudado o reforço da frota da TAP Express/Portugalia, para operar, a partir de Porto e Faro, para outros aeroportos da Europa, em “ligações ponto a ponto”, para tentar que a TAP seja “mais competitiva”, nomeadamente face às companhias aéreas low-cost.

Grupo TAP com menos 1.600 trabalhadores até ao fim do ano
Pedro Nuno Santos anunciou ainda que irão sair 1.600 trabalhadores do grupo TAP até ao final do ano, tendo já saído 1.200 colaboradores.

O governante desmentiu dados apresentados pelo Bloco de Esquerda, que apontou a saída de 1.500 tripulantes da TAP, referindo que isso seria 80% da força laboral e garantindo que os 1.600 trabalhadores que irão sair são de todo o grupo e não apenas da companhia aérea.

“Não podemos manter artificialmente uma dimensão que não tem adesão ao mercado em que estamos hoje a operar”, explicou, salientando que isso “implica que no processo de reestruturação seja feito o redimensionamento” da companhia. “Não podemos manter emprego que depois não tem trabalho”, rematou.



Área Reservada
EMPRESAS JÁ DETENTORAS DO SELO "CLEAN & SAFE"
PEÇA AQUI O SEU SELO "CLEAN & SAFE"
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com