ARAC
04 Julho 2020 | 23:20
Notícias
2020-07-03Portugal Continental fora do “corredor turístico” de Inglaterra
O Reino Unido colocou Portugal Continental fora da lista de países que vão ter um “corredor turístico” o que significa, na prática, que os cidadãos britânicos que quiserem vir de férias ao Continente terão que ficar 14 dias de quarentena à chegada ao seu país. Já a Madeira e os Açores têm “luz verde”.+
2020-07-03CTP saúda acordo entre accionistas da TAP
O “Turismo precisa de uma TAP forte e competitiva”, afirma Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo de Portugal, no comunicado em que o órgão de cúpula do associativismo empresarial do turismo saúda o acordo entre accionistas conseguido a noite de quinta-feira, 2 de Julho.+
2020-07-03QATAR AIRWAYS ESPERA CHEGAR A MEIO DE JULHO A VOAR PARA 65 DESTINOS, INCLUINDO LISBOA
A Qatar Airways tinha inicialmente previsto retomar a ligação Lisboa-Doha esta sexta-feira, 3 de julho, uma retoma que ficou adiada para 19 de julho devido às restrições pelo governo português. +

Notícias



Do estado de emergência ao desconfinamento número de empresas abertas sobe para 91%
Executivedigest.sapo


Completados dois meses de inquirição, o INE e o BdP, no âmbito do Inquérito Rápido e Excecional às Empresas – COVID-19 avançam, esta terça-feira, com uma análise comparativa dos resultados entre o período do estado de emergência e o período de levantamento gradual das medidas de contenção.

Assim, foi apurado que a percentagem de empresas em funcionamento, mesmo que parcialmente, aumentou de 83% em abril para 91% em maio. Sectorialmente, é de destacar o Alojamento e restauração que, em maio, tinha em funcionamento 51% das empresas, mais 10 p.p. que em abril, e o Comércio com 93% das empresas a funcionar face a 84% em abril.

A percentagem de empresas respondentes a reportar um impacto negativo no volume de negócios, face à situação
expectável sem pandemia, decresceu de 80% em abril para 75% em maio. Por setores, a melhoria mais
significativa ocorreu no setor da Construção e atividades imobiliárias, onde esta percentagem se reduziu de 74% em
abril para 61% em maio.

Ao longo destes dois meses, observou-se também uma diminuição da percentagem de empresas que referiram um
impacto negativo no pessoal ao serviço efetivamente a trabalhar face à situação expectável sem pandemia (48% em
maio, menos 12 p.p. face a abril).

Nos setores dos Transportes e armazenagem e da Construção e atividades imobiliárias, esta evolução foi mais acentuada, com 51% e 34% das empresas nesta situação em maio, respetivamente, menos 20 p.p. e menos 17 p.p. que em abril.

Entre os dois períodos, observou-se um aumento da percentagem de empresas que referiram beneficiar das medidas
apresentadas pelo Governo devido à pandemia COVID-19 (excluindo o layoff simplificado).

Em particular, destaca-se o aumento da percentagem de empresas que efetivamente beneficiou da medida de suspensão do pagamento de obrigações fiscais e contributivas e da medida de moratória ao pagamento de juros e capital de créditos já existentes, situando-se nos 20% e 17%, respetivamente (mais 8 p.p. e mais 7 p.p. face a abril).

Porém, a percentagem de empresas que referiram não beneficiar nem planear beneficiar das medidas apresentadas pelo Governo aumentou ligeiramente, situando-se entre 53% e 61% em maio, consoante a medida.

A percentagem de empresas em funcionamento ou temporariamente encerradas que recorreram a crédito adicional
aumentou ligeiramente entre os dois períodos em análise, passando de 13% para 15%.



Área Reservada
PEÇA AQUI O SEU SELO "CLEAN & SAFE"
EMPRESAS JÁ DETENTORAS DO SELO "CLEAN & SAFE"
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com