ARAC
02 Julho 2020 | 07:56
Notícias
2020-07-01Saída de Neeleman deixa TAP entre Pedrosa e o Estado
Esquerda insiste em nacionalizar, governo quer ganhar poder. Marcelo diz que deixar cair transportadora não é hipótese. Direita rejeita TAP pública.+
2020-06-30Em 100 dias de pandemia perderam-se 8 mil milhões de euros em compras com cartões
Nos primeiros 100 dias de pandemia foram feitas menos 200 milhões de transações com cartões, o equivalente a oito mil milhões de euros. Nesse período 60% das pessoas reduziram compras com cartão.+
2020-06-30Joaquim Sarmento (PSD) teme que Governo aguarde "milagre europeu" e repita "erros do passado"
Joaquim Sarmento teme que o Governo esteja "exclusivamente à espera do milagre europeu" para resolver os problemas da economia e que repita "erros do passado" no que se refere a investimento público.+

Notícias



Fidelidade perde terreno, Generali entra no pódio nos seguros em Portugal
JORNAL DE NEGÓCIOS


A Fidelidade continua a ser a maior seguradora em Portugal, mas viu a quota de mercado cair em 2019, ano em que alguns dos seus maiores concorrentes cresceram a ritmo acelerado. Já em 2020, o pódio das maiores seguradoras vai alterar-se, com a aquisição da Seguradoras Unidas pela Generali.

A produção de seguros da Fidelidade totalizou 3.296 milhões de euros em 2019, uma queda de 28,9%, ou de 1.338 milhões de euros. A quota de mercado caiu 8,8 pontos percentuais e fixou-se em 26,4%. A justificar este movimento está apenas o ramo vida, que teve uma quebra de 44%. Aqui, a quota de mercado caiu de 40% para 25,6%.

A quebra no ramo vida, explica a Fidelidade, “resultou da política da seguradora, que, a partir do segundo semestre de 2019, suspendeu a comercialização de alguns produtos financeiros”. Em causa estão, por exemplo, produtos de poupança com taxa fixa que não eram rentáveis para a empresa. Esta redução da quota de mercado resulta “da redução da oferta e não da procura por parte dos clientes”, sublinha.

Esta evolução acontece, também, depois de a Autoridade da Concorrência (AdC) ter aplicado uma multa de 12 milhões à Fidelidade pela participação em cartel. A empresa rejeita, contudo, que o evento tenha afastado clientes. “Em todos os ramos de negócio objeto da investigação pela AdC, a Fidelidade cresceu acima da média e ganhou quota”.

O grupo Ageas também diminuiu a produção, embora a um ritmo mais lento, com uma quebra de 1,7% para 2 mil milhões de euros. O grupo, que inclui os seguros Ocidental, reforçou a quota de mercado para 16,9%.

Já a Seguradoras Unidas tirou o terceiro lugar ao Santander Totta Vida, ao produzir 872 milhões de euros em seguros, um aumento de 9%. A quota de mercado é agora de 7% e, este ano, a posição deverá ser reforçada, depois de a Generali ter fechado a compra da Seguradoras Unidas. Em 2019, a seguradora italiana tinha uma quota de 1,8% em Portugal. Com esta aquisição, sobe esta percentagem para 8,8%.

No ramo não vida, o novo grupo deverá aproximar-se ainda mais da Fidelidade, que tem uma quota de 27,6%. A Seguradoras Unidas tinha uma quota de 15,6% e a Generali outros 2,9%. Juntas, teriam 18,5%.

3.296
PRODUÇÃO
Em 2019, a Fidelidade produziu 3.296 milhões de euros de seguros, uma quebra de 28,9% face a 2018.



Área Reservada
EMPRESAS JÁ DETENTORAS DO SELO "CLEAN & SAFE"
PEÇA AQUI O SEU SELO "CLEAN & SAFE"
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com