ARAC
14 Novembro 2019 | 10:56
Notícias
2019-11-14Portugal cresce há um ano e meio acima da zona euro, mas abrandou significativamente
O PIB cresceu 1,9% no terceiro trimestre, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística publicados esta quinta-feira. Deste modo, o crescimento português continua acima da média da zona euro. Mas houve uma desaceleração forte em relação ao trimestre anterior+
2019-11-13Salário mínimo avança sem acordo. Governo admite medidas para as empresas no OE
O aumento do salário mínimo para 635 euros avança sem acordo com os parceiros sociais, mas as negociações prosseguem com vista a um entendimento mais vasto. O Governo admite incluir medidas reclamadas pelos empresários no próximo orçamento.+
2019-11-13Portugal é o sexto melhor país para passar a reforma na Europa
Portugal consegue o sexto lugar entre os países mais atrativos para os reformados, mas fica atrás do país vizinho: Espanha leva a medalha de ouro. +

Notícias



Carlos Tavares disponível a "todas as concessões" para que Bruxelas aprove fusão
JORNAL DE NEGÓCIOS


O CEO do grupo PSA, Carlos Tavares, disse esta sexta-feira estar disponível a "todas as concessões" para obter "luz verde" de Bruxelas para a fusão entre a PSA e a Fiat Chrysler Automobiles (FCA).


A união entre os dois grupos, anunciada a 31 de outubro, dará origem ao quarto maior fabricante automóvel mundial, numa operação avaliada em cerca de 45 mil milhões de euros.


Em entrevista ao canal económico francês BFM Business, o gestor português disse estar preparado para fazer "todas as concessões" necessárias para assegurar a concordância das autoridades europeias.


Carlos Tavares disse ainda que "dada a necessidade de obter uma série de aprovações de reguladores, um negócio desta natureza não ficará fechado em menos de um ano".


No entanto, o CEO do grupo francês espera que um "acordo vinculativo" entre a PSA e a FCA seja assinado nas próximas semanas e a BFM Business, citando fonte próxima do processo, adianta que os dois grupos esperam assinar esse acordo no início de dezembro.


Carlos Tavares garantiu que todas as marcas abrangidas pela fusão serão mantidas. O novo grupo terá um total de 14 marcas: Peugeot, Citroën, DS, Vauxhall e Opel, vindas da PSA, e Fiat, Alfa Romeo, Lancia, Maserati, Abarth, Chrysler, Dodge, RAM e Jeep oriundas do grupo ítalo-americano.

"A entidade resultante da fusão terá um número significativo de marcas, de facto, mas menor do que o do nosso principal rival alemão", sublinhou Tavares, aludindo ao grupo Volkswagen.

"Parte do desafio será gerir a natureza de complementaridade destas marcas para cobrir o mercado", acrescentou.


O futuro líder do novo gigante automóvel estimou em mais de cinco mil milhões de euros as necessidades de investimento da PSA para desenvolvimento tecnológico na próxima década.




Área Reservada
Como constituir uma empresa de Rent-a-Car
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com