ARAC
21 Julho 2018 | 16:42
Notícias
2018-07-20Governo e patrões em choque frontal na linha da Beira Alta
CIP emitiu ontem um comunicado crítico face aos investimentos do Governo para a rede ferroviária nacional. Em entrevista, o presidente do Conselho da Indústria da CIP, Luís Mira Amaral acusa o Executivo de estar a fazer remendos em linhas velhas.+
2018-07-20Mais de 400 mil condutores apanhados pelos 30 radares do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade
Um sistema para deteção automática da infração de excesso de velocidade, composto por 30 radares móveis instalados em 50 locais considerados críticos, apanhou 400 mil condutores em 11 meses.+
2018-07-20A estranha história da taxa turística no aeroporto que existe desde 2015 e nunca foi cobrada
A taxa turística no aeroporto aparece em todos os regulamentos da Lisboa desde 2015. A ANA pagou-a uma vez porque "estava entre a espada e a parede". Acaba no outono sem nunca ter sido cobrada.+

Notícias



Inspeções do gás e eletricidade deixam de ser obrigatórias
Dinheiro Vivo


Os clientes residenciais poupam 51,23 euros na inspeção inicial, enquanto para a indústria acaba a taxa de 1890 euros pela aprovação do projeto 

A partir de 1 de janeiro de 2018 será possível poupar nos custos com as inspeções e aprovações obrigatórias dos projetos de instalação elétrica e de gás. A medida é hoje publicada em Diário da República, no âmbito do programa Simplex+, e prevê a revisão do regime jurídico que estabelece as regras para as instalações elétricas de serviço particular alimentadas pela rede elétrica de serviço público e o regime das instalações de gases combustíveis em edifícios. O objetivo é reduzir os tempos de licenciamento e simplificar os processos. 

De acordo com as novas regras, os clientes residenciais com uma instalação igual ou inferior a 10,35 kVa deixarão de ter de pagar os atuais 51,23 euros referentes à inspeção inicial, bastando contratar um técnico responsável pela execução do projeto, a custos de mercado. Desta forma, os projetos de instalação elétrica deixam de ter aprovação obrigatória pela entidade licenciadora/certificadora, bastando que estejam acompanhados do respetivo termo de responsabilidade do autor.

Tudo isto será processado de forma digital, através de uma nova plataforma eletrónica criada e gerida pela Direção Geral de Energia e Geologia, e com a supervisão da Entidade Reguladora de Serviços Energéticos (ERSE). 

No caso dos clientes comerciais, com instalações acima de 41,4 kVA, deixa de ser necessária a aprovação do projeto (com um custo de 159,27 euros) e a respetiva inspeção (51,23 euros). Neste caso, tanto a inspeção inicial como as inspeções periódica a cada cinco anos, no caso de não existir um técnico responsável, terão um custo que deverá se contratualizado entre as partes, a preços de mercado a regular pela ERSE. 

Já os clientes industriais, com potências instaladas de 630 kVA, ficam isentos dos atuais 1890 euros que pagam pela aprovação de projeto. Quanto à vistoria, que agora custa 250 euros, o seu valor futuro será determinado pela soma deste serviço e da utilização do sistema de registo SRIESP.

Também no caso dos projetos de instalação de gases combustíveis em edifícios deixa de ser obrigatória a aprovação por uma Entidade Inspetora de Gás, bastando da mesma forma o termos de responsabilidade do autor. As inspeções periódicas para as instalações de gás da indústria turística e de restauração, escolas, hospitais, estabelecimentos públicos ou particulares, com capacidade superior a 250 pessoas, passam de um intervalo de 2 para 3 anos. 

As mudanças de comercializador de gás de titular do contrato de fornecimento de gás também não implicam a obrigatoriedade de inspeção de instalação de gás, caso não haja interrupção de fornecimento, entre outras variáveis. Também aqui existirá uma plataforma eletrónica para fazer o registo obrigatório das instalações de gás, com um mecanismo de aviso aos proprietários sobre a data de realização das inspeções periódicas. A ERSE elaborará uma proposta de fixação das taxas devidas às Entidades Inspetoras de Gás pelas intervenções a efetuar.



Área Reservada
Como constituir uma empresa
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com