ARAC
25 Junho 2017 | 01:12
Notícias
2017-06-22Endividamento da economia portuguesa volta a níveis recorde
A dívida conjunta do Estado, empresas privadas e famílias em Portugal nunca foi tão elevado como em Abril deste ano, revelam os dados do Banco de Portugal publicados esta quinta-feira, 22 de Junho. +
2017-06-20Rent-a-car compram 25 mil carros para responder ao boom do turismo
Empresas de aluguer de carros são responsáveis por mais de um quarto das vendas de automóveis em Portugal. Compraram mais 26%+
2017-06-20Lançamento do novo veículo antecipa paragem na Autoeuropa
A Autoeuropa vai antecipar o habitual período de `shutdown´ para a última semana de Junho e primeira de Julho, devido ao arranque da produção de um novo veículo em Agosto, revelou hoje fonte da empresa à agência Lusa.+

Notícias



Empregadores portugueses do Turismo prevêem que contratação cresça 29% no 3º trimestre
Ambitur


O ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o terceiro trimestre de 2017 – um estudo realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 625 empregadores em Portugal – revela que estes empregadores manifestam intenções de contratação otimistas para o terceiro trimestre de 2017, com especial destaque para os ligados ao Turismo (setor da Restauração e Hotelaria), que fazem uma projeção para a criação líquida de emprego de 29%, logo seguidos pelos empregadores dos setores de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços, também com uma projeção bastante favorável, na ordem dos 23%.

Em termos gerais, o estudo do ManpowerGroup revela que 15% dos empregadores portugueses inquiridos preveem um aumento de contratação no terceiro trimestre deste ano, 3% antecipam uma redução e 79% consideram que não haverá alterações nos níveis de contratação – o que dita uma projeção para a criação líquida de emprego de +12% no período em referência. 

Em comparação com o trimestre anterior, as previsões de contratação melhoram em seis dos nove setores identificados. O Turismo (setor da Restauração e Hotelaria) reporta uma melhoria de 13 pontos percentuais, enquanto o setor Público e os setores de Transportes, Logística e Comunicações e de Comércio Grossista e Retalhista revelam melhorias de seis pontos percentuais. Contudo, as previsões decrescem em três setores, incluindo o de Agricultura, Florestas e Pescas, em que os empregadores revelam uma previsão que retrai nove pontos percentuais e o setor de Fornecimento de Eletricidade, Gás e Água onde se prevê um decréscimo de seis pontos percentuais. 

“Os resultados do ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o terceiro trimestre de 2017 realçam e confirmam as tendências positivas antecipadas no segundo trimestre do ano, com um crescimento ligeiramente superior da criação de emprego e com as grandes empresas a procurarem consolidar e aumentar o volume das suas atividades no mercado Português. Podemos antecipar o crescimento do Turismo (setor da Restauração e Hotelaria) e também o contínuo crescimento do mercado externo”, refere Nuno Gameiro, Country Manager da ManpowerGroup Portugal, que acrescenta: “Assim se explica a melhoria de confiança dos mercados internacionais na economia Portuguesa, constituindo excelentes notícias para o crescimento económico. Simultaneamente, com o crescimento da criação de emprego, a procura por talento disponível tende a intensificar-se – e face às projeções para o recuo da taxa de desemprego, o foco das empresas será reajustado para a reformulação e melhoramento de competências das suas pessoas, o que colocará uma pressão adicional e crescente na vertente de retenção do talento”. 

Se é real que os empregadores nas três regiões (Norte, Centro e Sul) antecipam um aumento da contratação durante os próximos três meses, a verdade é que as melhores perspetivas são as dos empregadores a Sul, que projetam uma criação líquida de emprego de 21%. Tanto no Centro como no Norte é antecipado um aumento otimista de 11% e 10%, respetivamente. 

Comparativamente com o trimestre anterior, a maior evolução acontece no Sul com uma subida de nove pontos percentuais. Na região Centro, a melhoria é de dois pontos percentuais e no Norte não se regista alteração. 

As projeções para a criação líquida de emprego apontam para um crescimento maior, de 21%, nas Grandes Empresas, e um crescimento sustentado e estável, de 14% e 13%, respetivamente nas Pequenas e nas Médias Empresas. As Microempresas também preveem crescimento, embora mais baixo, de 8%. 

As conclusões do inquérito apontam para que, em 41 dos 43 países participantes, a contratação prossiga em terreno positivo neste terceiro trimestre. Globalmente, as oportunidades para quem procura emprego serão muito similares às registadas no segundo trimestre do ano, com os empregadores na maioria dos países participantes a manifestarem a intenção de manter ou aumentar o volume de contratação, consoante as dinâmicas dos mercados locais. Globalmente, as perspetivas de contratação mais fortes chegam do Japão (+24%), Taiwan (+24%), Hungria (+20%) e Estados Unidos da América (+17%). Com as piores perspetivas apresentam-se Itália (-2%), República Checa (0%) e Finlândia (1%). 

Na região EMEA, a projeção dos empregadores para a criação líquida de emprego mantém-se em crescendo em 23 dos 25 países inquiridos. Em comparação com o trimestre anterior, preveem-se melhorias em nove países e um enfraquecimento em 10, com seis países a não preverem alterações. Os empregadores mais otimistas para este período entre julho e setembro estão na Hungria, sendo que a Turquia apresenta uma recuperação e um em cada quatro empregadores prevê aumentar a contratação neste trimestre. As perspetivas mais fracas de contratação são reveladas pelos empregadores de Itália, naquela que constitui a única projeção negativa entre os 43 países inquiridos. Simultaneamente, são reportadas perspetivas positivas em todos os países das regiões Ásia-Pacífico e Américas.


Área Reservada
Como constituir uma empresa
Quer Alugar Carro?
Siga-nos
Seara.com